Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

I'm not a Princess

Aqui não se fala sobre nada cor-de-rosa. Se querem humor estúpido, misturado com política, economia e temas ainda mais estúpidos, podem encontrar algo aqui.

I'm not a Princess

Aqui não se fala sobre nada cor-de-rosa. Se querem humor estúpido, misturado com política, economia e temas ainda mais estúpidos, podem encontrar algo aqui.

O que todos sabemos e preferimos ignorar

 "A definição de loucura é fazer a mesma coisa vezes sem conta e esperar resultados diferentes"

 

Na minha vida há algo que já me aconteceu entre 4 a 5 vezes por motivos diferentes, gerado por situações muito distintas, mas o final é sempre igual. E eu continuo a voltar a fazer o mesmo... e volta sempre tudo à situação inicial.

 

Quando é que sabemos que estamos perante um erro e algo inevitável, e que chegou momento de desistir? Sempre me disseram para lutar pelo que quero, mas chega a parecer masoquismo.

Sinto que todas as semanas vou a convenções da JSD

Não, não sou filiada no Partido. Não se trata disso.

Falo sim da maneira como todos os jovens adultos (incluo aqui todos os homens até aos 30) se vestem neste país, seja para irem sair à noite, a um casamento, a uma reunião profissional ou ao aniversário do primo.

 

De certeza que também já repararam na abundânia de calças caqui (fui pesquisar este termo para ter a certeza) e camisas brancas ou azuis claras. Acredito que a Sacoor, a Quebra-Mar e a Throttleman são as principais beneficiadas.

 

Já me aconteceu estar numa festa, em que estavam presentes 20 espécies destas, e apenas um tinha calças azuis. No jantar de aniversário do meu irmão estavam todos iguais, parecia uma qualquer farda de colégio.

 

Homens façam-me um favor... abram o vosso espectro de cores e vistam-se um pouco diferentes dos vossos amigos... Arrisquem! Assim ninguém repara em vocês, e começam todos a parecer zebras!

Devaneios de uma mudança de casa

Não aluguem nem comprem uma casa, fiquem a viver para sempre em casa dos pais! Este é o melhor conselho que vos posso dar, principalmente se a casa não tiver mobilada.

 

- E porquê? - perguntam vocês

- Três razões: Dinheiro, dinheiro, e por fim, empreiteiros.

 

Vou explicar melhor:

Já comprámos um sofá, mesa da sala, frigorífico, roupeiro, e mais 3000 porcarias na IKEA, e a casa continua vazia... Como é que é possível?

 

Querem mais razões? Ninguém me ensinou a tratar de papeladas. E agora? 

Agora tenho de tratar da activação do gás, luz, electricidade, internet... etc...

E não é assim tão simples, o gás só pode ser ligado depois da electricidade, mas ninguém me explicou isto antes. Temos de pagar ao senhor que vai lá do gás fazer a vistoria, 50 euros... E pior, o homem foi lá, e agora diz que não pode ligar o gás, porque as obras da cozinha foram mal feitas. Ligar ao empreiteiro para ele resolver a situação, e depois voltar a ligar para a empresa do gás, voltar a pagar 50 euros e vamos ver...

 

Há quase dois meses com uma casa nova, a gastar dinheiro, e ainda sem lá viver.

 

Por isso, sigam o meu conselho: Fiquem em casa dos vossos pais!

 

 

Eterna insatisfação

Porque é que uma pessoa se sente sempre insatisfeita? Um emprego novo dá-nos seis meses de satisfação e depois vivemos eternamente insatisfeitos, porquê? Sei que não devemos tomar decisões precipitadas antes de irmos de férias, porque aparentemente há estudos a provar que nos sentimos insatisfeitos nesta altura do ano devido ao cansaço...

 

Mas, eu sinto-me insatisfeita, e não sei se é só devido ao cansaço, ou se é também devido à empresa... tenho de esperar até setembro para descobrir?!

E organizar um evento para 150 pessoas? Não queiram!!!

Há pouco mais de seis meses mudei de emprego. Fui contratada para uma área, mas agora já faço isso, e mais aquilo, e a outra coisa... e agora calhou-me organizar a festa do aniversário da empresa. É verdade que tenho alguma experiência em organização de eventos empresariais, mas nunca com direcções destas. 

Começámos a pensar na festa em março, foi decidido que a festa seria em determinado local... pedi orçamentos, fui a reuniões... E depois de tudo organizado, decidiram que afinal já não era aquilo que queriam. Muito bem, voltámos a fazer tudo outra vez e mesmo assim mudaram de ideias.

A festa é daqui a duas semanas e só esta segunda-feira consegui que aprovassem o conceito e locais finais. Yupiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!! Estou tão feliz que nem imaginam (mentira não estou, porque agora tenho de organizar tudo em menos de duas semanas). Se alguém por aí quiser ajudar, aceito já (ofereço bar aberto na festa!).

 

#ohchefinhosjasedecidiam (odeio hashtags, mas este fica aqui bem)

 

Os homens têm muito mais auto-estima que as mulheres

Toda a gente já ouviu falar da campanha da Dove, certo?!

 

Para os que andam alheados do mundo, podem ver aqui:

 

 

Mas agora surgiu uma campanha ainda melhor!

À semelhança do filme da Dove, uma câmara instalada nas fachadas de um edifício filmou as reações de vários homens quando confrontados com duas portas: "Avarage Dick" e "Big Dick".

Ao contrário das mulheres, que, na maioria, optaram pela porta "average", para a beleza comum, os homens escolheram a que melhor descrevia os seus "equipamentos". Além disso, aqueles que optaram por ser modestos confessam, depois, que se arrependeram porque, afinal, não estavam a ser completamente honestos.



 

Qual é que gostam mais?!

Eu adoro a criatividade do segundo (e sinceramente, os egos de tanto homem)

 

O jornal I está a deixar-me indecisa

Sou leitora assídua de vários meios de comunicação online, mas adoro os artigos mais desenvolvidos do Jornal i. 

Conseguem sempre dar uma perspectiva e um lado da situação que não estamos à espera. Ainda esta semana li um artigo muito bom sobre os homens que morreram no 25 de abril. Durante anos aprendi na escola que tinha sido uma revolução sem violência e com cravos nas espingardas, mas a verdade é que morreram pessoas e que foram esquecidas pela maioria. Eu não sabia, e o i teve aqui a capacidade de ensinar certamente milhares de portugueses.

 

Mas depois, há situações em que me desiludem. Esta:

 

11178288_1563061180610985_7362799771000361107_n.jp

 

É verdade que a capa continua a ser maravilhosa e continua a chamar a atenção para um tema essencial e urgente, mas o i é um jornal diário que em primeiro lugar tem o dever de informar, e aposto que a maioria das pessoas que viu a capa de ontem ficou com a sensação que era uma imagem recente. A fotografia é de 2002, e apesar do tema continuar a ser actual, muita gente se sentiu enganada. Ao i não custava nada ter indicado a data real da imagem e o problema estava resolvido.

 

Por outro lado, hoje chego ao escritório, e como é já habitual vou aos vários sites de informação que tenho nos meus favoritos (um deles é o i) e deparo-me com um site muito mais user friendly, um design moderno e mais atractivo. E havia algo que pecava no i, o online era o oposto do papel, não trasmitia uma imagem de algo integrado, algo único.

 

Parabéns pela vitória de hoje, mas os leitores mereciam um pedido de desculpas pela omissão de ontem!